Barra da Lagoa - Canal

Barra da Lagoa

O bairro da Barra da Lagoa está localizado na costa leste da Ilha de Santa Catarina, entre o Rio Vermelho e a Lagoa da Conceição.

Distante cerca 19,8 km do centro de Florianópolis, a Barra da Lagoa é uma comunidade tradicional, que ainda mantém viva a raiz cultural açoriana e madeirense, como a pesca e a produção de trançados, a confecção da renda de bilro e de redes para a pesca artesanal.

Com uma área de 4,75 km² e uma população estimada em aproximadamente 4.925 habitantes, o bairro está concentrado entre o morro do Parque Municipal da Galheta e o canal que liga a Lagoa da Conceição ao mar.

A principal via que dá acesso ao bairro é a Rodovia SC-406, tanto para quem vem do norte (Rio Vermelho) quanto vindo pelo sul (Lagoa da Conceição).

A Barra da Lagoa é uma localidade muito simpática, formada por ruas estreitas, travessas e vielas, fruto do modo de vida simplório dos pescadores. Seus moradores são conhecidos pela cordialidade e pelo prazer em receber os que vem de fora. Aliado às belezas naturais, este é um dos principais motivos pela qual a Barra da Lagoa atrai inúmeros turistas na temporada de verão.

Muitos de seus visitantes são estrangeiros, vindos da América do Norte e Europa, mas também os gaúchos, paranaenses, cariocas e paulistas costumam eleger a Barra da Lagoa como lugar de veraneio. Mesmo nos meses de inverno, a região é bastante procurada pelos que buscam sossego e contato com a natureza longe do agito dos centros urbanos e do fervor da temporada.

A Barra da Lagoa possui boas opções de hospedagem, com casas para alugar, várias pousadas, hostels e albergues para todos os gostos. Para os que gostam de frutos do mar, pode-se experimentá-los nos diversos restaurantes à beira do canal, de onde se pode admirar um belíssimo visual das águas tranquilas, em tom verde-turquesa, por onde passam lanchas e iates que entram e saem da Lagoa da Conceição.

Os restaurantes oferecem um bom leque de opções gastronômicas, que vai de bistrôs com cozinha internacional e decoração intimista até comida japonesa, pizzarias e lanches variados. Mas o carro-chefe da região são os frutos do mar, com destaque para os peixes regionais como a tainha e a anchova, nas modalidades frita e assada na brasa.

O comércio do bairro é restrito às necessidades da comunidade local, com mercados, farmácias, padarias e posto de gasolina, além de lojas de souvenir, artesanato e artigos para praia. Nos meses de verão, alguns estabelecimentos costumam funcionar até a madrugada.

Na Barra da Lagoa, não existem casas noturnas e as opções de entretenimento são praticamente inexistentes, com exceção de um ou outro bar que abre na temporada de verão com apresentações de música ao vivo. Entretanto, a menos de 3 km de distância, nas praias Mole, Joaquina e na Lagoa da Conceição, há grande variedade de baladas em boates, bares e lounges.

Desde 2005, funciona na Barra da Lagoa um base do Projeto Tamar, chamado de Tamar Floripa, que desenvolve um trabalho de conscientização e educação ambiental. O Tamar Floripa conta com infraestrutura que inclui cinco tanques de observação com exemplares de quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas que desovam no Brasil, sala de vídeo, exposições, espaço infantil e loja para venda de souvenir.

Outro atrativo da Barra da Lagoa é a Pedra do Frade, um megálito que era utilizado pelos povos que habitavam a região como observatório astronômico. Entre as marcações estão o solstício de verão e o de inverno.

publicidade

História

Os primeiros vestígios de ocupação humana na área que hoje corresponde à Barra da Lagoa remontam há mais de 5.000 anos e compõem-se, basicamente, de oficinas líticas e inscrições rupestres. Mais tarde, já no período da colonização portuguesa, a coroa tencionou construir uma fortaleza militar por ali. No entanto, essa obra nunca foi concluída e, com a construção da ponte sobre o canal, ela eventualmente foi soterrada.

Em meados do século XVIII, a Ilha de Santa Catarina foi ocupada por casais de açorianos para que Portugal pudesse garantir sua posse. Esses imigrantes foram enviados às regiões afastadas do centro, formando pequenos povoados. Um desses povoados era o de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, que foi fundado em 1750 e é um dos mais antigos do Estado de Santa Catarina.

A região em que hoje se localiza a Barra da Lagoa pertencia ao senhor Flor Martins, um rico proprietário de terras. Com o tempo, o canal acabou atraindo alguns pescadores. As primeiras construções a despontarem foram os abrigos para os barcos, mas eventualmente esses pescadores se fixaram na área, dando origem a uma pequena vila. O desenvolvimento espacial dessa comunidade acabou sendo determinado pela proximidade com o mar.

No início do século XX, a Barra da Lagoa contava com aproximadamente trinta famílias cuja subsistência vinha da pesca. Com a introdução da pesca embarcada na comunidade, muitos pescadores deslocaram-se para grandes polos pesqueiros como Santos e Rio Grande do Sul, deixando para trás não apenas Florianópolis, mas também as técnicas da pesca artesanal que haviam sido aprendidas com os seus antepassados.

A partir da década de 1960, a região passou a receber um grande fluxo de visitantes, atraídos por suas belezas naturais. Isso fez com que os moradores da Barra da Lagoa passassem a investir em atividades ligadas ao turismo, como o aluguel de casas para veraneio, a construção de pousadas, restaurantes, lojas, etc. Essa mudança de atividade econômica alterou profundamente as sociabilidades e as referências culturais da comunidade.

Em 1989, começou o movimento de emancipação do bairro. Ao editar um mapa oficial, as autoridades divulgaram a região como Praia da Barra da Lagoa e não como a Praia da Lagoa, como costumava ser chamada. Mas foi somente em 1995 que o distrito da Barra da Lagoa foi oficialmente reconhecido. O desmembramento da Lagoa da Conceição ocorreu pela Lei Municipal nº 4.806/95.


publicidade

publicidade

publicidade

publicidade