Hassis - Fachada

Quem foi Hassis?

Hassis, nome artístico de Hiedy de Assis Corrêa, foi um dos maiores artistas a viver e retratar Florianópolis. Nascido em 27 de julho de 1926 na cidade de Curitiba, estado do Paraná, mudou-se com sua família para a capital catarinense quando tinha apenas dois anos de idade. Por aqui, demorou a definir residência: já tinha seus dez anos quando seus pais optaram definitivamente pelo bairro da Trindade.

A relação de Hassis com as artes visuais veio da infância. Verdadeiro fã de histórias em quadrinhos, tentava reproduzir algumas das imagens que encontrava em seus gibis. Já adulto, o talento para o desenho marcou o início de sua trajetória profissional, tendo trabalhado como desenhista na empresa de Topografia, Urbanismo e Construção Ltda. Nos empregos seguintes, porém, não teve a mesma sorte.

Em 1948, quando estudava Contabilidade na Academia de Comércio de Santa Catarina, foi convidado por Aníbal Nunes Pires, um de seus professores, para ilustrar um conto e um livro. Pouco tempo depois, ilustrou um dos contos de Salim Miguel. Foi Salim quem o convidou para integrar o time de artistas da Revista Sul, uma das mais importantes publicações sobre arte fora do eixo Rio-São Paulo.

Ao longo da década de 1950, a carreira artística de Hassis se consolidou; além das encomendas que recebia para ilustrar livros e contos, passou a desenhar para revistas e jornais. Também criava cartazes e logotipos para empresas. É desse período que data “Vento sul com chuva”, obra que faz referência a um dos fenômenos mais característicos da Ilha e que é uma das mais conhecidas de todo o seu acervo.

No ano de 1957, Hassis e Ernesto Meyer Filho organizaram a Exposição de Pinturas e Desenhos de Motivos Catarinenses. Motivada por essa experiência, a dupla convidou diversos outros artistas a fundar o Grupo de Artistas Plásticos de Florianópolis, que tinha por principais objetivos facilitar a realização de exposições, divulgar os artistas e trabalhar com temas relacionados a Florianópolis.

Entre as décadas de 1960 e 1970, Hassis enveredou por outras técnicas de expressão visual e mexeu com fotografia, filmagem, colagens e pintura mural. Datam dessa época obras como “Ontemanhã” e o “Mural Humanidade”, pintado nas paredes da Capela da Santíssima Trindade. Também produziu painéis e murais para empresas, órgãos estatais e espaços públicos, entre eles o Aeroporto Hercílio Luz e a Praça XV de Novembro.

Hassis faleceu aos 74 anos, em 20 de janeiro de 2001. A casa em que residia, localizada no bairro Itaguaçu, hoje abriga o Museu Hassis, responsável por resguardar sua memória e produção artística. O acervo da instituição conta com milhares de documentos , fotografias, telas e vídeos, além de um espaço de exposição reservado aos novos artistas.

Conheça o Museu  Hassis.

publicidade

publicidade

publicidade