Museu Vitor Meirelles - Fachada

Casa Natal de Victor Meirelles

Dicas de Turismo

Guia Santa Catarina

Balneário Camboriu

Conheça Balneário Camboriú

Pertinho de Florianópolis está o badalado Balneário Camboriú, conhecido também por BC. Muita gente aproveita para passar o dia nas... Leia Mais

A Casa Natal de Victor Meirelles é um sobrado tipicamente luso-brasileiro do final do século XVIII, início do século XIX.

De construção intermediária, entre a tradicional porta-e-janela e os sobrados mais requintados, a casa apresenta as características básicas da arquitetura comercial mais frequente na Desterro do século passado, onde o andar superior destinava-se à moradia e o térreo ao comércio – no caso, o armazém do pai do artista, o português Antônio Meirelles de Lima.

Embora de concepção singela, o edifício é um dos poucos exemplares remanescentes da nossa arquitetura oitocentista, que preserva até hoje os elementos tipológicos e formais mais significativos das construções daquele período. O imóvel foi adquirido pela União em 1946 e tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1950. Desde 1952 o edifício abriga o Museu Victor Meirelles como forma de preservar a memória do grande artista catarinense.

Quem foi Victor Meirelles

Victor Meirelles de Lima nasceu na pequenina cidade de Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis, em 18 de agosto de 1832. Ele era um menino pobre, filho de imigrantes portugueses, que ainda na infância ocupava seu tempo desenhando bonecos e paisagens de sua ilha idílica.

A vocação precocemente revelada foi estimulada pelos seus pais e apoiada pelas autoridades oficiais da época. Tanto que aos quatorze anos de idade já ganhava uma bolsa para frequentar a Academia Imperial de Belas Artes, no Rio de Janeiro, e aos vinte anos, com a tela “São João Batista no Cárcere” conquistava o Prêmio Especial de Viagem à Europa . De volta ao Brasil foi agraciado com o título de cavaleiro da Ordem da Rosa e nomeado professor de pintura da Academia.

A partir de então, seu nome se transformou numa das maiores expressões das Artes Plásticas no Brasil, no século XIX.

Autor da mais popular das telas brasileiras – “A Primeira Missa no Brasil”- reproduzida em cadernos escolares, selos, cédulas monetárias, livros de arte, catálogos e revistas, Victor Meirelles deixou um extraordinário acervo, minuciosos esboços, estudos em papel e óleos sobre telas. Faleceu no Rio de Janeiro a 22 de fevereiro de 1903.

O Museu Victor Meirelles

No local, hoje, funciona o Museu Victor Meirelles, um espaço aberto para a divulgação do trabalho do artista e da arte contemporânea local. Abriga um acervo permanente com pinturas de óleo e aquarela e desenhos de autoria de Victor Meirelles que mostram as várias fases de sua trajetória artística, além de obras de mestres e alunos do catarinense, como Tommaso Minardi, Antônio Parreiras, Belmiro de Almeira, Décio Villares, Eliseu Visconti, Oscar Pereira da Silva.

Outra mostra permanente é a Coleção XX e XXI, que reúne desenhos, pinturas, gravuras e fotografias escolhidas a partir de exposições temporárias que passaram pelo local. Além das exposições permanentes, o Museu Victor Meirelles ainda possui uma sala para mostras temporárias, sala multiuso onde são promovidas oficinas abertas à comunidade e até uma sala multimídia utilizada para exibições de filmes comentados. O museu está aberto à visitação de terça a sexta-feira das 13h às 18h e para visita de grupos é recomendável agendar um horário previamente.

Saiba tudo no nosso especial Museu Victor Meirelles.

Dados baseados no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.


publicidade

publicidade

publicidade