Praça XV de Novembro

Dicas de Turismo

  • Praia do Matadeiro

    Atividades no Matadeiro

    As águas límpidas do Matadeiro são propícias para a prática do mergulho livre. A praia conta com bares que são uma...
    Leia Mais

  • Igreja de São Sebastião

    Largo São Sebastião

    A construção da Igreja, principal elemento do Largo São Sebastião, em meados do século XIX, está diretamente ligada às diversas...
    Leia Mais

Guia Santa Catarina

Balneário Camboriu

Conheça Balneário Camboriú

Pertinho de Florianópolis está o badalado Balneário Camboriú, conhecido também por BC. Muita gente aproveita para passar o dia nas... Leia Mais

Na colina próxima ao mar, o bandeirante Francisco Dias Velho fundou, em 1673, a póvoa em homenagem a Nossa Senhora do Desterro. E é neste local que está atualmente a Praça XV de Novembro, com sua pavimentação em petit pavê que forma um admirável mosaico com motivos do folclore ilhéu elaborado pelo artista plástico Hassis.

Foi a partir dali que a cidade começou a expandir-se, com suas pequenas ruelas costeando a praia. Até hoje a malha viária original está conservada no Centro Histórico, com as ruas João Pinto, Tiradentes, Víctor Meirelles, Fernando Machado, Anita Garibaldi, Saldanha Marinho, Nunes Machado, Antônio Luz e Travessa Ratcliff a leste e ruas Francisco Tolentino, Conselheiro Mafra, Felipe Schmidt, Trajano, Deodoro, Jerônimo Coelho, Sete de Setembro, Álvaro de Carvalho, Pedro Ivo e Padre Roma a oeste.

Esta área concentra uma grande quantidade de construções históricas, as quais apresentam as características arquitetônicas originais preservadas por lei.

Na Praça XV está o Monumento em Honra aos Heróis Mortos na Guerra do Paraguai e os bustos que homenageiam catarinenses famosos: Cruz e Sousa, poeta, Victor Meirelles, pintor, José Boiteux, historiador, e Jerônimo Coelho, fundador da imprensa no Estado.

Arborizada durante o século XIX, a praça recebeu árvores de grande porte, como palmeiras imperiais, ficus indianos e cravos da Índia, mas com certeza a vedete arbórea é a Figueira Centenária. Diz-se que ela nasceu em 1871 em um jardim que existia em frente à Igreja Matriz e que foi transplantada para o seu lugar atual em 1891.

Tradicional, cantada em prosa e verso pelos artistas ilhéus, traz consigo superstições, como a de contorná-la várias vezes para atrair casamento e fortuna. Se a simpatia funciona ou não, só testando para saber, mas não deixe de aproveitar sua sombra fresca, que abriga vários banquinhos onde os aposentados da cidade descansam e jogam conversa fora.

publicidade

publicidade

publicidade