Trilha Lagoa do Peri até Ribeirão da Ilha

Dicas de Turismo

  • ilha do campeche 2

    Lazer no Campeche

    Há várias opções de lazer no Campeche. As dunas que cercam a praia do Campeche são uma boa opção de...
    Leia Mais

  • Museu O Mundo Ovo de Eli Heil

    Museu O Mundo Ovo

    O Museu O Mundo Ovo de Eli Heil guarda o numeroso acervo particular de Eli Malvina Heil, artista catarinense consagrada...
    Leia Mais

Guia Santa Catarina

Garopaba

Praias próximas: Garopaba

Por ser perto, muita gente vai surfar ou pegar uma praia em Garopaba. Conheça as várias praias perfeitas para o... Leia Mais

Jacarés e Mata Primária

Em tamanho e popularidade, a Lagoa da Conceição vence a do Peri. São 20,65 quilômetros quadrados contra 5 quilômetros quadrados de espelho d’água, mas as duas maiores lagoas da Ilha de Santa Catarina são igualmente atraentes e misteriosas. A Lagoa do Peri é abastecida por um conjunto de mananciais hídricos que nascem nas encostas do Sul da Ilha. Toda a região está preservada como patrimônio natural pelo decreto municipal nº 1.828. Menos explorada que a Lagoa da Conceição, na Lagoa do Peri ainda se pode encontrar Mata Atlântica Primária. Com alguma sorte, pode-se ver o jacaré-de-papo-amarelo, que, de acordo com biólogos, é inofensivo ao homem. No verão, a lagoa costuma ser bastante frequentada por banhistas.

O Único Habitante do Sertão do Peri

A ocupação do Distrito do Pântano do Sul, onde fica a lagoa, tem origem na Freguesia de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão, um dos principais núcleos de colonização açoriana, que se deu há 250 anos. Mas as marcas desse período ainda estão vivas no Sertão do Peri.

publicidade

Entre os distritos do Pântano do Sul e do Ribeirão, o Sertão do Peri fica perto da lagoa e é extremamente isolado. O único habitante é Valdomiro dos Santos, 59 anos. Seu Miro, como gosta de ser chamado, mora com seus 13 cães, gansos, galinhas e bois, numa casa construída na metade do século passado. Sem energia elétrica, seu Miro desenvolve atividades rurais de subsistência. Os caminhos abertos por escravos passam também pelo Sertão do Ribeirão, onde um conhecido produtor de cachaça, seu Chico, foi misteriosamente assassinado há poucos anos.

A Ilha de Costa a Costa

A jornada começa na restinga da Lagoa do Peri, na entrada da Pousada Alemdomar, quando uma pequena estrada, por onde passam também automóveis, estreita-se em uma trilha de solo irregular. Segue-se à beira da Lagoa do Peri até entrar em mata fechada por uma hora. Quando se alcança uma clareira chega-se ao Sertão do Peri. Neste ponto, vale conhecer o engenho à tração animal que seu Miro mantém em atividade. A Cachoeira Grande (são várias quedas d’água, mas a melhor fica nos fundos da casa dele) é boa opção para banho e mergulho, servindo também para abastecimento de água.

Para continuar a travessia até o outro lado da Ilha deve-se retomar a trilha no portão de entrada do terreno de seu Miro. O caminho recomeça no outro lado do rio e sobe em mata fechada até um canavial, de onde se tem uma visão da Lagoa do Peri e da Ilha do Campeche por um ângulo inusitado. Deixando o canavial, chega-se ao Sertão do Ribeirão. Basta atravessar a comunidade rural para chegar ao Ribeirão da Ilha, na SC-401.

Informações

Atenção: A trilha só pode ser feita com um guia.

Nível de dificuldade: difícil.

Atrativos: lagoa, jacarés, vista panorâmica, cachoeira, rio, praia, fonte d’água, Mata Atlântica.

Tempo: 3h30min.

Início: SC-406, na entrada da Pousada Alemdomar.

Fim: SC-401, no Ribeirão da Ilha.

Principal dificuldade: Extensa.

Como chegar: Seguir até o final da rua da Pousada Alemdomar.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade