PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Observação de Baleias

Entre os meses de julho e novembro, o litoral catarinense serve de berçário para a Baleia Franca Austral, que sobe pela costa brasileira. Isso acontece porque a temperatura da água é mais agradável para as fêmeas parirem e amamentarem seus filhotes. Quando as crias estão preparadas para alimentarem-se sozinhas, os cetáceos voltam para as águas geladas da península Antártica. No período que estão na nossa orla elas ficam tão próximas das praias que é possível avistá-las da terra firme. Onde encontrá-las? As cidades do estado de Santa Catarina mais propícias para a observação estão ao sul de Florianópolis. Diferente do que muitos pensam, a ilha de Santa Catarina não é o local com melhor infraestrutura para turismo de observação. Isso ocorre porque a periodicidade de baleias no litoral florianopolitano é bem menor do que em cidades como Imbituba e Garopaba. Pesca Predatória A migração para o litoral favoreceu a caça da baleia, sobretudo entre os séculos XIX e XX, para o uso da carne, da gordura, do óleo e até das barbatanas e ossos. Os avanços tecnológicos empregados nesta prática levou à quase extinção dos mamíferos marinhos, até que a última estação baleeira fosse fechada na década de 70. Turismo de Avistamento Pouco a pouco a pesca predatória deu lugar à valorização do mamífero e atualmente a visita das Baleias Franca ao litoral catarinense tem atraído turistas de vários pontos do Brasil. Com o objetivo de proteger os animais, foi criada em 2002 a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca - APA, que abrange 156 mil hectares em 130 km da costa catarinense. A APA garante o uso adequado do patrimônio natural, uma vez que apenas regulamenta o uso dos recursos, sem proibir as atividades humanas. Exploração Comercial do Turismo Os barcos que cobram para levar turistas até bem próximo dos animais devem estar credenciados junto à APA e ao Ibama. Além de estar quites com a Marinha do Brasil, as embarcações devem observar uma lei que protege as baleias de perturbações. Essa lei prevê alguns cuidados básicos: - Ao aproximar-se do animal, o barco deve desligar o motor ou colocá-lo em neutro a pelo menos 100 metros de distância. - O tempo de aproximação não deve exceder 30 minutos. - Nunca avançar bruscamente na direção das baleias. - O barco não deve aproximar-se por de trás, perseguir os animais, interceptar o seu curso, separar os grupos ou as mães dos filhotes e deve manter-se afastado em posição lateral. - É proibido mergulhar ou jogar objetos próximo dos animais. - Não faça ruídos desnecessários. - Na saída, o barco deve religar os motores apenas quando avistar claramente os animais na superfície. Para quem não se sente bem em embarcações, é possível avistar os mamíferos a partir da terra firme. Para isso, o mais adequado é procurar locais elevados e fazer uso de um bom binóculo. Embora as baleias possam ser vistas desde o Balneário de Morro dos Conventos até Bombinhas, as regiões de Garopaba e Imbituba são os pontos mais favoráveis à observação. Dicas do Guia Floripa - Veja no Guia Santa Catarina as opções de hospedagem para a cidade de Garopaba, praia onde mais se avistam baleias. - Se a intenção é ficar em Florianópolis, alguns estabelecimentos do Sul da Ilha oferecem traslado até o embarque. Você também pode entrar em contato diretamente com as empresas de traslado ou Agências de Turismo. - Saiba como encontrar Passeios de Barco em Florianópolis. - Para mais informações sobre os animais, consulte o Projeto Baleia Franca, dedicado à pesquisa e à conservação dos mamíferos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE